CENDAP

 

 

Histórico do Cendap

 

 O Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa – CENDAP/PPGSCA nasceu em 2005, vinculado ao Projeto PADCT/CNPq/2004 Processos Sócio-Culturais na Amazônia: história do pensamento antropológico e processos étnico-culturais, definido como projeto integrado de pesquisa que reuniu os programas de pós-graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e o de Antropologia, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Na UFAM o projeto foi coordenado pelo Prof.Dr. Nelson Noronha.

A proposta de criação de um centro de documentação e apoio à pesquisa, vinculado ao PPGSCA, compunha uma das metas prioritárias do Projeto PADCT, que se destinava a formar um acervo documental e bibliográfico, com o objetivo de disponibilizar aos pesquisadores os instrumentos necessários para a realização de pesquisas e estudos relativos aos processos sócio-culturais na Amazônia.

Para tanto foi destinada uma área anexa à administração do PPGSCA, para o funcionamento do Centro de Documentação, que dispõe de uma sala ampla onde funciona o depósito do acervo e o processamento técnico.  Os principais equipamentos foram adquiridos ainda em 2005, sob o financiamento do Projeto PADCT. Equipando o Cendap com um armário deslizante de 5 faces que comporta o atual acervo, bem como de aparelhos de controle de umidade e esterilizador de ambiente.  Além de microcomputadores, impressora multifuncional com scanner, filmadora e câmera digital e duas leitoras de microfilmes.  Em 2008, em parceria com o Núcleo de Pesquisa POLIS, foi adquirida uma leitora digitalizadora de microfilme.

 

Formação do Acervo

 

Durante o ano de 2005, sob a coordenação da Profª Drª Marcia Eliane Alves de Souza e Mello foram efetuadas as primeiras ações programadas que visavam a constituição  do acervo do CENDAP. Para tanto foram feitas duas viagens de pesquisa ao Rio de Janeiro para identificação, coleta e/ou aquisição de acervo documental. No âmbito do projeto intitulado Amazônia nos arquivos do Rio de Janeiro (1612-1950), cujo objetivo era coletar nos fundos e coleções dos arquivos nacionais e estaduais, a documentação referente à Amazônia desde o período colonial até o período republicano.      

As instituições escolhidas prioritariamente para essa etapa de pesquisa foram a Biblioteca Nacional e o Arquivo Nacional, cujo acervo contém documentação manuscrita original e inédita acerca da Amazônia  para o período compreendido pelo projeto.  Bem como um acervo de jornais provinciais e republicanos disponíveis em microfilmes.

 

No campo das ações locais foram adquiridos da Biblioteca  Pública do Amazonas: uma coleção de documentos oficiais e obras raras digitalizados e em formato Cd-rom. E durante o ano de 2006 deu-se inicio a digitalização de outros documentos impressos dispersos em acervos privados, tais como o Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (IGHA).

Em dezembro de 2007 foi aprovado no edital universal do CNPq o projeto  Amazônia Portuguesa: documentos coloniais, que abrangeu os arquivos  localizados m Belém e em São Luís, complementando a documentação original sobre a Amazônia colonial. O Projeto se baseou nos seguintes os eixos temáticos: Administração colonial: estado e instituições; Viagens e viajantes: relatos coloniais; Demografia e Produção: séries e números coloniais; Administração eclesiástica: missionários e missões.

            Manteve-se a permuta e/ou aquisição de acervo bibliográfico, através de compra ou doação de livros, revistas, separatas, publicações avulsas, etc. Bem como da confecção de um banco de teses e dissertações, composto tanto do quadro do PPGSCA quanto de professores a ela associados, que diz respeito à Amazônia.

 

Acervo atual

 

O acervo bibliográfico conta com 568 livros, 762 de periódicos acadêmicos (Anais,Boletins,Revistas), 290 papers e separatas, entre outros impressos.

Dos impressos microfilmados, dispomos de  449 títulos de jornais que circularam entre 1854-1982 em diversas cidades amazônicas, 109  Relatórios do Governo Provincial (1852-1889) e 83  Relatórios e Mensagens do Governo Estadual do Amazonas  (1891-1959)  e 36  Anaes da Assembléia do Amazonas (1874-1910; 1935). Das obras raras microfilmadas, destacamos os 5 volumes da Corographia historica, chronographica, genealogica, nobiliaria e politica do Império do Brasil de Alexandre Mello Moraes(1858),  os 8 volumes do Vocabulario portuguez e latino de Rafael Bluteau (1721), Coleção de 11 textos raros de Francisco Adolfo de  Varnhagen impressos entre 1858 e 1872, e a coleção de breves pontifícios e leis régias de 1741.

 Do material manuscrito, destacamos a Coleção Arquivo Histórico Ultramarino (Lisboa) que compreende: códices de cartas régias, consultas, provisões, etc. (65.000 fotogramas) e documentos manuscritos avulsos das capitanias do Pará, Rio Negro e Maranhão - 1616-1824 (208.000 documentos manuscritos); coleção de manuscritos de Alexandre Rodrigues Ferreira; notícias geográficas da província do Rio Negro Século XIX; coleção de manuscritos do Amazonas, Pará e Maranhão -1612-1890; registros de cartas régias, provisões, alvarás,  correspondência do Governador, decretos e atos relativos ao Grão-Pará 1764-1807 que perfazem, no total, mais de 80 mil páginas de documentos. A documentação digitalizada pelo projeto “Amazônia portuguesa: documentos coloniais” ainda estão sendo processados, mas contabiliza por volta de 29 mil documentos manuscritos.         O acervo é formado também por material Áudio-visual composto de  143 DVDs  e 48 VHS de documentários e entrevistas;  material cartográfico com 135 plantas e mapas mundi e da região 1512-1917 (9 Cds);  material  iconográfico composto por fotos e álbuns digitais (8 Cds) e   material sonoro commúsicas amazônicas diversas (14 Cds).

Durante o período compreendido como sendo de formação do acervo, manteve-se uma sistemática organização e catalogação dos diferentes documentos e material bibliográfico. Através dos esforços de vários bolsistas e estudantes voluntários  que por estes anos passaram pelo Cendap, que temos o prazer de trazer á público o primeiro instrumento de pesquisa do Cendap, tão ansiosamente aguardado pela comunidade acadêmica.